Loading...
Livro em Oferta Amazon - Pankeka
Livro em Oferta Amazon - Pankeka
Uma autobiografia

Uma autobiografia

Angela Davis
Não Ficção | Biografias e memórias | Ciências sociais

A Boitempo publica pela primeira vez no Brasil Uma autobiografia, de Angela Davis. Lançada originalmente em 1974, a obra é um retrato contundente das lutas sociais nos Estados Unidos durante os anos 1960 e 1970 pelo olhar de uma das maiores ativistas de nosso tempo. Davis, à época com 28 anos, narra a sua trajetória, da infância à carreira como professora universitária, interrompida por aquele que seria considerado um dos mais importantes julgamentos do século XX e que a colocaria, ao mesmo tempo, na condição de ícone dos movimentos negro e feminista e na lista das dez pessoas mais procuradas pelo FBI. A falsidade das acusações contra Davis, sua fuga, a prisão e o apoio que recebeu de pessoas de todo o mundo são comentados em detalhes por essa mulher que marcou a história mundial com sua voz e sua luta. Questionando a banalização da ideia de que "o pessoal é político", Davis mostra como os eventos que culminaram na sua prisão estavam ligados não apenas a sua ação política individual, mas a toda uma estrutura criada para criminalizar o movimento negro nos Estados Unidos. Além de um exercício de autoconhecimento da autora em seus anos de cárcere, nesta obra encontramos uma profunda reflexão sobre a condição da população negra no sistema prisional estadunidense. Trecho da introdução "Quando expressei minha hesitação em me dedicar a uma autobiografia, não foi por não desejar escrever sobre os acontecimentos daquela época e, sobretudo, de minha vida, mas sim porque eu não queria contribuir com a tendência já difundida de personalizar e individualizar a história. E, para ser totalmente franca, minha discrição natural fez com que me sentisse um tanto constrangida em escrever sobre mim mesma. Assim, não escrevi realmente a meu respeito. Isto é, não mensurei os eventos de minha própria vida de acordo com sua possível importância pessoal. Em vez disso, tentei utilizar o gênero autobiográfico para avaliar minha vida de acordo com o que eu considerava ser o significado político de minhas experiências. O método político de mensuração derivava de meu trabalho como ativista no movimento negro e como membro do Partido Comunista."

Livros Similares
Mulheres, raça e classe
Feminismo para os 99%: um manifesto
A liberdade é uma luta constante
Mulheres, cultura e política
A democracia da abolição
Outros Livros do gênero: Não Ficção
Amor líquido
A Brevidade da Vida
Corações sujos
Justiça
Obras de Friedrich Engels
Liberalismo
Ainda somos uma família
Obras de Santo Agostinho
Dez argumentos para você deletar agora suas redes sociais
O imbecil coletivo
A magia do silêncio
As cinco linguagens do amor
Ética e vergonha na cara!
Educação e libertação: a perspectiva das mulheres negras
A Guerra dos Tronos e a filosofia
O que é anarquismo
Sobre a Ira
A Arte da guerra
As Semanas Mágicas
Filosofia do cotidiano

Ver mais

Outros Livros do gênero: Biografias e memórias
Querido menino
Perdoar o que você não pode esquecer
Comer, rezar, amar
Ricardo e Vânia
Criatividade S.A.
Se não eu, quem vai fazer você feliz?
Rebeldes têm asas
Transformando sonhos em realidade - A trajetória do ex-engraxate que chegou à lista da Forbes
No ar rarefeito
Repórter
Elza
A menina da montanha
O que me faz pular
Transformando Suor em Ouro
Lava Jato
Mamãe & Eu & Mamãe
Furacão Anitta
A mulher que inventou a beleza
O Castelo de Vidro
O Dono do Morro

Ver mais

Outros Livros do gênero: Ciências sociais
Avaliação Institucional da Escola Básica
A escola não é uma empresa
O Reflexo de Narciso nas Águas da Internet: Consumo e Narcisismo nas Sociabilidades em Rede
Ensinando pensamento crítico
O tempo das paixões tristes
Algumas histórias sobre o feminismo no Brasil
Ditadura e Serviço Social
Profissões para mulheres
Pandemia e agronegócio
Medicina financeira:
Prazeres perigosos
Jornalismo século XXI
Uma história não contada
Transformações da política na era da comunicação de massa
Contra a interpretação
Natureza Íntima
Previsivelmente irracional
Anticapitalismo em tempos de pandemia
A inteligência artificial irá suplantar a inteligência humana?
Coisas que o povo diz

Ver mais